Buscar
  • Gabrielle Canena

JOÃO AMÔEDO

Atualizado: 22 de Jul de 2019







Partido: Novo

Nascimento: Rio de Janeiro (RJ)

Idade: 55 anos

Profissão: Engenheiro e administrador de empresas

Carreira política: Nunca exerceu cargo político.

Candidatura registrada em 13 de agosto

Ocupação declarada: engenheiro; bens declarados: R$ 425.066.485,46

Vice: Professor Christian (Novo); ocupação declarada: cientista político; bens declarados: R$ 4.125.322,33

Relator do registro: ministro Napoleão Nunes Maia


João Amoêdo, em entrevista à Gazeta do Povo em novembro de 2017:

"O Novo, como partido, já se posicionou: entende que as pessoas devem ter liberdade para casarem com pessoas do mesmo sexo, que cabe a elas decidir. Então, o Novo é favorável que prevaleça o desejo das pessoas neste aspecto", afirmou Amoêdo, atribuindo a posição ao partido.


João Amoêdo, em declaração em fevereiro:

"Eu sou a favor do aborto nas regras previstas na legislação hoje. Nesses casos eu acho que a mãe deve ter liberdade para optar. Nos outros casos eu entendo que não, porque a gente deveria fazer a proteção do feto", disse o pré-candidato.

Amoêdo afirmou ainda que uma eventual revisão da lei sobre aborto deveria ser discutida no âmbito de cada estado. "Nessa pauta eu acho importante, e essa seria a minha sugestão, que a gente pudesse adotar um federalismo no Brasil, para que essa pauta pudesse ser discutida nos estados, tendo o posicionamento de cada estado."


João Amoêdo, em entrevista ao HuffPost Brasil em dezembro de 2017:

"Na questão do desarmamento, o partido já se posicionou contra. A gente acha que a pessoa deve ter liberdade de portar arma, se for de seu interesse, claro que com responsabilidade. A gente vai deixar que essa solução venha da população", afirmou.


Amoêdo, que se define como “liberal na economia e conservador nos costumes”, já declarou ser contra a legalização das drogas. Entretanto, afirmou, em entrevista, que respeita “que cada um tenha a sua definição do que quer ser. O fato de eu ser conservador nos costumes não deve obrigar que a minha opinião seja majoritária. A solução desses problemas tem que passar pela conscientização das pessoas. Não podemos ficar na armadilha de nos isentarmos da solução do problema e transferir isso para o Estado brasileiro”. Apesar disso, em vídeo divulgado no canal do YouTube durante a pré-campanha, defendeu a descriminalização de “pequenos portes de maconha” para diminuir a superlotação de presídios. Durante sabatina no programa Roda Viva, porém, ele se declarou contrário. “Em um primeiro momento, sou contra a descriminalização. O Brasil tem um problema grave de segurança e certamente o combate às drogas como está sendo feito não está funcionando”, disse. Sobre a guerra às drogas e liberdade individual, afirmou que entende “que a guerra não está funcionando, mas não é uma variável que eu queria trazer para o Brasil agora”.


Privatizações- Defende a privatição da Petrobras, Banco do Brasil, Caixa. Para ele, qualquer serviço público pode passar à iniciativa privada.

Programas sociais- É a favor do Bolsa Família e vê o programa com bom custo-benefício. “É uma solução que adota a crença na liberdade, na responsabilidade do indivíduo e no livre mercado, e não na gestão estatal”, escreveu.

Previdência Social- É a favor de reformar a Previdência e considera o atual sistema inviável. Para ele, não basta ajustar os benefícios e privilégios concedidos aos servidores públicos e militares.

Reforma Trabalhista- Defende a reforma trabalhista aprovada pelo governo Temer, mas acha que ela pode ser “melhorada”.

Segurança Pública- É a favor da revisão do Estatuto do Desarmamento, justificando que possuir armas é uma garantia individual do cidadão.

Teto dos gastos públicos- Considera o congelamento dos gastos aprovado pelo governo Temer uma medida positiva.

Política econômica- Defende o fim de desonerações para alguns setores da economia, além da simplificação dos tributos, “principalmente sobre o consumo”.


- Política de privatização de estatais e usar o dinheiro obtido para pagar juros da dívida pública- Tornar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) opcional, deixando o trabalhador livre para aplicar onde preferir- Manter a política de congelamento dos gastos públicos adotada por Temer- Ele também defende a Reforma da Previdência sugerida pelo atual presidente. Amoêdo propõe ainda mudanças na legislação no futuro, como aumento da idade de aposentadoria para 65 anos, tanto para homens quanto para mulheres

O candidato ainda não protocolou as diretrizes no TSE.

#eleições #Brasil #voto #candidatos #joãoamôedo